quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Umas palavrinhas no dia do meu aniversário...


Olá pessoal!

Hoje, 19/02/2009 é dia do meu aniversário!!!


É... To ficando mais velha e o mais legal é que a cada ano que passa vejo o quanto tudo ao meu redor muda rápido, como que a vida vai passando e como que a gente vai se transformando ( e quantas palavras novas eu aprendi! rsrs É sério!!!! )


Bem, eu não sabia bem o que escrever... Então peguei o velho e bom caderno e meu lápis e deu nisso:



Vida

Estadia e jornada.
As marcas ficam pelo corpo. Nos gestos, na memória.
E a memória, cheia de lembranças. De pessoas e fatos.

Eis aqui um fato da vida:
Viver é se movimentar e interferir.


DE-SES-PE-RA-DA-MEN-TE.
Movimento e interferência.
Se deslocar e mudar. Estagnar e mover.
Viver.

E passar por tudo que se tem que passar.
E passando, guardar, sofrer, sorrir, aprender.
Errar.
Cair e levantar. Cair de novo.
Reerguer.

Porque a vida está ali, paradinha.
E nós estamos deslizando por ela.
Sobre e sob ela.
Entre.

Marcando e sendo marcados e nos moldando e [...]
Aceitando e resistindo.
Amando e sentindo e morrendo e renascendo.
Vivendo.

QUES-TI-O-NAN-DO. [???]
Sendo.
E cada vez mais, tentando SER.
Existindo.

Escrevendo uma história única de vida.
Para que contem, escrevam, observem, interfiram.
E no final que leiam.
E que silenciem.
Ou que digam:

-Não fez sentido, mas tudo senti.
E valeu.
( Está valendo! )

Milla Borges

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Sobre o olhar


Olá pessoal!


Hoje, o poema que vou postar não fui eu que escrevi.
Eu o ganhei do meu namorado, Tiago Marins.


Ti, obrigada por tudo.
Pelas palavras, por esse amor tão bonito, por gostar de mim, por ser meu grande amor e amigo.
Minha vida sem você não teria graça.

Obrigada por ser assim... Tão Tiago Marins... Tão meu!

Eu te amo!

Milla Borges


Sobre o olhar


Tão fascinante quanto intenso
Inevitável razão pro torpor
Congelamento momentâneo
Inevitável fuga da dor


Não é calmo, nem é manso
Não é rude, nem agressivo
Capaz de absorver o bem e o mal
Nem é certo, nem é indeciso


Me perdoa e me condena
Me seduz e me devora
Me acalma e me atormenta
E espera
Sem pressa (...)
Com calma
Domina minha alma

Traz a pureza e a malícia
Traz o Sol a cada manhã
Traz sentido à minha vida
Minha cura
Minha loucura (...)
A morada
Onde repousa o meu amor.

Tiago Marins

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Fabricando sonhos...



A noite, de olhos fechados
Mergulhada no meu mundo
Vou passeando pelo pensamento
Entrando num coma profundo.
Imagino tudo que eu quero
Crio histórias e personagens
Sinto gostos, vejo cores
E texturas e imagens.
A coisa vai fluindo...
Viro criança pra brincar
E uma certeza me domina:
É necessário sonhar!
Escrevo palavras no vento...
Sinto um prazer inenarrável
Piso em nuvens e vou voando
Por esse céu incomparável.
Danço a dança dos felizes
Com o coração dos inventores.
Tudo se torna tão mágico,
E tem cheirinho de flores!
Ouço a voz da imaginação
E deixo flutuar minha poesia
Invento uma nova canção
Pra toda essa fantasia...
Pois eu me sinto recompensada
Ao ver rostinhos risonhos
Que se alegram com os escritos
Da menina fabricante de sonhos....

Milla Borges