terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Apoteótica



Testando minha paciência elástica
Aprendi a me conhecer,
Mas não serei muito enfática
Pra que ninguém se assuste
Com minha vida eclética
E minha cabeça caótica
Que só Freud conseguiria entender...
Descobri que sou romântica
E um tanto quanto dramática,
Mas isso dá pra perceber.
Sou uma garota frenética
Uma mulher lunática
Sonhadora, febril e poética
E faço da vida o meu prazer.
Possuo uma beleza exótica
Tenho até uma veia artística,
O que me leva a escrever... (?)
Reconheço que sou neurótica.
Para alguns, enigmática
Para outros, sou patética
Pois cada um tem seu parecer.
Odeio a vida doméstica,
Às vezes sou muito crítica,
Não gosto de matemática,
Mas gosto de política.
E não admito perder.
Autêntica e mística.
Profética e elíptica.
Erótica.
Cética.
E tudo mais que eu puder ser...




Milla Borges