domingo, 25 de setembro de 2011

Muito além das palavras pequenas que tenho...



- ...
- Você gosta de que?
- Gosto de palavras.
- Que tipo de palavras?
- Todos os tipos, menos as que doem.
- Hum...
-Você é uma palavra...
-E você gosta?
-Gosto sim...
-Eu gosto de você. E isso é uma afirmação. Não tem um “acho” na frente.
-É porque eu também sou uma palavra...
-Pode ser...
-Quer algumas palavras de presente? Posso te dar.
-Não sei... Tenho um pouco de receio. Não lido muito bem com as palavras...
-Mas as minhas são um pouco mágicas. É que saem de dentro, sabe. Não surgem na boca ou nos dedos... Surge do ventre, da barriga... Ou daqui ó. Do peito...
- É? Você me doaria algumas, então?
-Sim... Mas antes, você precisa me dizer uma palavra também.
-Ué, você não disse que me daria palavras? Porque está me pedindo uma agora? Já te disse que não me dou muito bem com elas...
- Me diz uma. Uma que saia da boca mesmo. Junte os lábios, force a língua. Alguma palavra vai sair. Sem a sua palavra, não tenho como fabricar as minhas...
- ...
- Mas tem uma coisa... As minhas palavras, enquanto estiverem saindo de mim, continuam sendo minhas... Só passam a ser suas quando eu terminar e estiver vazia. E aí, faça delas o que quiser. Se servir, as utilize. Caso não sirva, deixe que o vento as leve. Entendeu?
- Entendi...
- Me dá uma palavra agora!
- Amor. Só isso pode ter em mim e só isso posso te dar. E te dou a palavra amor...
- Amor... Sei que minhas palavras são poucas, mas o que me move ao ganhar essa palavra é um impulso livre. Um vento bom...  E as minhas palavras são tão pouquinhas e insuficientes para doar amor... Mas uma coisa eu te digo, tudo que te dou a partir do amor, sai do coração. Não existe simplesmente porque existe. Existe porque precisa viver, precisa ser sentido. Vai além, muito além das palavras pequenas que tenho... É a semente que por amor recebe água. Que por amor à água, resolve brotar. E por brotar ama mais e floresce. Amor floresce. Amor é flor. E por amor à flor, surgem mais sementes. É tudo aquilo que também por ser muito até dói. Mas o que fazer da dor se não se sente nada além que uma vontade imensa de amar... Não sei ao certo quanto tempo o amor morou em mim, mas ele está aqui agora... Não é tão leve, nem tão claro como a água nem tão bonito quanto à flor. Mas é real, é honesto, é luz, insistindo em iluminar o breu do meu coração. Amor não é feito pra entender, não é feito pra definir, não é feito pra se achar. É feito pra confundir, pra se perder, pra criar sorrisos...
Não sei ao certo quanto tempo o amor morou em mim, mas ele está aqui agora.
Mais do que todas essas palavras, pegue pra você o que há entre elas, por dentro delas... Seu peso, sua textura, sua consistência... Sua essência. Esqueça os significados, esqueça os conceitos e só queira sentir... Por que, posso não saber por quanto tempo ainda o amor permanecerá, mas ele está aqui agora...
- ...
- Que?
- Nada.
- Ai ai...
- Senti. Senti o seu amor...
- E...
- Não sei usar as palavras, mas estou sentindo. Estou cheio de tudo que disse. De cada palavra que me deu. E que agora são minhas.
- ...
-Que foi?
-Nada.
-Nada não... Cadê seu brilho?
-Está aqui em algum lugar... É que agora estou vazia.
-Vai passar...
-Eu sei que vai.
-E, sabe... Você não está assim tão vazia... Sobrou o amor. Eu o sinto aqui...
-É. Ele está aqui agora... Que se demore...

Milla Borges


9 comentários:

  1. Milla, adorei! Caiu-me como uma luva. Beijos Ursula

    ResponderExcluir
  2. Minha querida amiga é tão maravilhoso ler tua linhas...sempre me impressiono o quanto vc é fantastica com as palavras....sempre é adoravel passar por este cantinho..estar nele...

    Fico sempre feliz quando dou uma puladinha aqui...

    parabens

    Ademerson Novais de Andrade

    ResponderExcluir
  3. Que diálogo querido! As palavras são mesmo mágicas, e mesmo as que doem são sempre necessárias, um mal necessário.

    Adorei mesmo, andei sumida, mas não vou mais deixar isso acontecer. rsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, nossa... Faz um bom tempo que não venho aqui, mas fique sabendo que não esqueci de você e nem de seu blog.
    Como sempre adorei tudo, adoro o jeito como você escreve.
    bjus!!!

    ResponderExcluir
  5. Não tenho por hábito ler blogs... mas passei por este e não pude deixar de ler...

    Simplesmente maravilhoso! Amei o post...

    Continua, as pessoas precisam de palavras dessas!

    ResponderExcluir
  6. ola fabricanteeeeeeeeeeeeee
    ah tanto tempo que nao vinhaaqui,
    me desculpe! adoro ler suas palavras
    cheias de amor, carinho, esperança...
    te desejo um santo e feliz natal!!
    abraço lusitano!

    ResponderExcluir
  7. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderExcluir
  8. OLÁ,
    Estive ausente pela Quaresma...

    Páscoa é:

    "Coragem é a resistência ao medo,
    domínio do medo,
    e não a ausência do medo."
    (Mark Twain )

    SAIR DO PRÓPRIO TÚMULO

    Jesus libertou-me... enviou-me anjos para me soltar das amarras que me prendiam...

    Apóstolo Pedro: “precisamos dar razões que justifiquem a nossa Esperança” (1Ps 3,15).

    FELIZ PÁSCOA PARA TODOS NÓS!!!
    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir

Deixe aqui um pedacinho do seu sonho...
Obrigada!