sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Para (re)criar um novo (e velho) eu


Quero (re)montar a minha vida...
Não pelos erros todos que cometi no passado, não é isso. Também não é por qualquer insatisfação que eu poderia estar sentindo, nem por achar que há algo de errado comigo (embora muitas vezes eu ache mesmo que há algo de errado comigo. E com o mundo também).
Não, não é por isso.
É que há tempos eu me perdi de mim, e há tempos eu tento me (re)encontrar...
Em algum momento da minha trajetória, desfiz um laço precioso e bonito, aquele que me conectava com todos os meus eus, com tudo que há em mim, o que tem aqui dentro, o que esteve escondido e pouco a pouco foi se revelando. E eu sinto falta daquilo que havia na mais fina camada da alma.
Não que eu esteja envolta em uma espessa crosta de nostalgia, embora, às vezes, vivê-la me leva a lugares que me acolhem.
O que eu quero é tão simples... Eu quero (re)escrever a minha história, (re)encontrar pessoas esquecidas, eu quero (re)viver sentimentos perdidos... (Porém tão vivos, que nunca se fizeram esquecer...)
Quero aquele sorriso, o mais sincero de todos, aquele que eu tinha...
Quero aqueles chiliques, aquelas coisas bem de mulherzinha e todos os meus rompantes emocionais de volta...
Quero (re)nascer de mim mesma para aquilo que no fundo, no fundo, nunca esteve morto...
(Re)Ativar a força que eu guardei, (re)lembrar tudo que fui e SER apenas quem eu sei ser.
Não dá pra se lamentar das coisas vividas nem se culpar por cada passo dado, ou decisão tomada... O que dá para fazer é seguir... Seguir a voz que chama, o abraço que atrai, o caminho que se tem pela frente, seguir o que manda o coração... Esse sim é o grande dono da verdade.
Vou (re)contar as horas que tenho para fazer um tempo novo e (re)fazer brotar o amor...
É isso...
(Re)Tomar nas mãos a minha vida, e fazer dela a coisa mais bonita de se estar.
Ser feliz, ou pelo menos tentar...
Para (re)criar um novo (e velho) eu.

Milla Borges