terça-feira, 4 de junho de 2013

O que há?


Nada é suficiente.
Tudo anda carregado de faltas.
Falta na mente, falta nos braços, falta no coração.
As ausências me preenchem, porque conter não cabe a mim.
Não nasci para reter... Eu desperdiço todas as coisas que sinto...
Lá se vai a raiva, o amor, a alegria... Esbanjo.
 De tristeza é que sempre fica um restinho.
Daí, as coisas esgotam. E faltam.
O que sobra?
Um peito cheio de sentimentos vazios...


Milla Borges