segunda-feira, 30 de setembro de 2013

O tal do amor

O que me salva da vida é o amor que sinto.
A rotina sufoca, o tempo corre, a cabeça explode, os nervos enrijecem, o sangue ferve... Mas o amor está ali.
No momento da pressa, o amor traz a calma. No instante do berro, ele traz o silêncio. Na hora do drama, ele se encarrega de me trazer o sorriso...
É... Ainda bem que existe o tal do amor para o resgate dos dias sem fim.

 Milla Borges