domingo, 17 de novembro de 2013

Seduzida pela palavra II


E pra que tanta incerteza, se a vida passa tão rápida por nós e o tempo insiste em não dar trégua?
Qualquer sentimento, devidamente alimentado, tende a crescer dentro do peito e todas as palavras cultivadas, doadas e trocadas, transformam-se em cais, onde a dúvida se deita para repousar e se cobrir de ilusão. É... Talvez seja melhor romper com as palavras, pois palavras iludem. Palavras nos salvam e nos atiram na solidão de sempre. Solidão presente...
É que de fato, eu não tenho mais como colher justificativa. As metáforas já perderam seu sentido, e metáfora que não se justifica corre o risco de virar paradoxo. E maldito seja o paradoxo, que só vem pra confundir.
Que haja a possibilidade de nada mudar ou tudo acontecer... E que ainda assim eu possa sorrir.

 Milla Borges