terça-feira, 28 de outubro de 2014

Melodia


Ouço a vida no canto da cidade. De algum canto, me ponho a cantar.
Na turbulência das horas urbanas, na violência do tempo que urge; do acorde que surge; sonoros corpos esbarram na melodia uns dos outros.
Orquestrados, seguem suas notas e afinam seus tons.
Em mim há descompasso e quase tudo desafina... 

Milla Borges